Anime, Indicação - anime

Hyouka: O sorvete da curiosidade

Olá, eu sou Deku, o mestre da inutilidade.

Já faz bastante tempo desde meu primeiro post aqui (eu olhei aqui e faz mais de um ano 0-0), mas espero que não tenham se esquecido da minha existência. Aparentemente eu sou muito bom em acumular ideias sem executar a maioria delas, provavelmente porque sou a little bit procrastinador… só um pouco… TÁ, EU ENROLO PRA CARAMBA, MAS POR FAVOR NÃO DESISTAM DE MIM AINDA T-T 

POR FAVOR, TENHAM MISERICÓRDIA DE MIM

Anyway, no meio dessa minha onda estranha de procrastinação, eu tive tempo para consumir diversas obras extremamente interessantes, entre elas uma que eu já tinha recebido algumas recomendações de amigos (DESCULPA PELOS 30 ANOS DE DEMORA, ZEROMEIA). Seu nome? Hyouka, um anime que me foi descrito a princípio como “um romance bem feito com um protagonista interessante”. Foi com essa expectativa inicial que eu decidi assistir. E eu não posso expressar o quão feliz eu fiquei em estar completamente enganado. 

FICHA TÉCNICA

SINOPSE DO MY ANIME LIST: O calouro do ensino médio Houtarou Oreki tem apenas um objetivo: levar uma vida cinzenta enquanto conserva o máximo de energia que puder. Infelizmente, seus dias de paz chegam ao fim quando sua irmã mais velha, Tomoe, o força a salvar o Clube de Clássicos sem membros da dissolução. Felizmente, a situação de Oreki parece ter acabado quando ele vai para a sala do clube e descobre que seu colega do primeiro ano, Eru Chitanda, já se tornou um membro. No entanto, apesar de sua obrigação ser cumprida, Oreki se vê enredado pela personalidade curiosa e borbulhante de Chitanda, logo se juntando ao clube por sua própria vontade. Hyouka segue os quatro membros do Clube de Clássicos – incluindo os amigos de Oreki, Satoshi Fukube e Mayaka Ibara – enquanto eles, movidos pela curiosidade insaciável de Chitanda, resolvem os mistérios triviais, mas intrigantes, que permeiam suas vidas diárias.

Hyouka acabou sendo uma experiência única, do tipo que dificilmente eu vou me esquecer algum dia. O romance, que havia sido o principal motivo para que eu me jogasse de cabeça na obra, passou a dividir espaço com outros aspectos dela, os quais eu vou desenvolver ao decorrer do post (já que descrever adequadamente os meus sentimentos com relação à obra em um parágrafo é algo que eu não poderia fazer nem se eu passasse os próximos 10 anos tentando ¯\_(ツ)_/¯). 

Para vocês terem uma ideia do quanto eu gostei dessa masterpiece, depois de ter assistido a primeira vez eu vi uma segunda. E uma terceira. Uma quarta também. TALVEZ eu tenha assistido uma quinta. Bem, imagino que o ponto principal tenha sido passado devidamente: eu fiquei obcecado com Hyouka, obcecado de uma forma que eu nunca ia imaginar que poderia acontecer. 

P.S.: Se não viu o anime ainda (como teoricamente é o caso por aqui) o título não vai fazer muito sentido, mas assista e você vai entender o sorvete :v

AVISO: ESTE POST NÃO TERÁ NENHUM SPOILER QUE ACABE COM SUA EXPERIÊNCIA, PORÉM CITAREI ALGUMAS INFORMAÇÕES QUE TALVEZ INCOMODEM QUEM PREFERE ENTRAR DE CABEÇA EM UM ANIME SEM SABER DE NADA. VOCÊS FORAM AVISADOS 0-0 

PERSONAGENS

Para começar, eu vou falar dos personagens. Em outras situações eu provavelmente começaria falando da história primeiro, mas em Hyouka os personagens e a forma como eles interagem são de suma importância para entender como a história se desenvolve. 

P.S.: Todos os personagens principais são estudantes do ensino médio (é anime escolar, então é esperado que sejam estudantes, I guess), isso ficou implícito no texto, mas achei que fosse uma informação importante de se ressaltar… É POR ESSE TIPO DE COISA QUE EU GOSTO DE COMEÇAR PELA HISTÓRIA T-T

“Se não tenho que fazer, não faço. Se tenho, faço depressa”, essa é a frase que em uma impressão inicial descreve tudo o que envolve a personalidade de Houtarou: sua visão de mundo, suas ações e até mesmo a forma como ele se enxerga estão impregnadas por influências dessa mísera frase. Ele valoriza acima de tudo a economia de energia, e não estou falando de lâmpadas por aqui (HAHAHAHAHAHAHA *ba dum tssss*), tudo o que ele faz é pensado para que não seja feito mais esforço que o necessário. Como eu tinha dito, essa é a impressão inicial, e a que geralmente cria uma visão que muitos fãs de Hyouka têm: a de que Oreki é só um preguiçoso de merda ¯\_(ツ)_/¯.

Quero dizer, não estão realmente errados, MAS NÃO É ESSE MEU PONTO T^T

A verdade é que Oreki tem muito mais por trás dessa fachada de frases e ideais, e é aí que se mostra a sua riqueza em personalidade, já que sua forma de viver se mostra ineficaz perante a lendária… 

Eu me diverti MUITO bolando essa transição. Filha única de uma linhagem de fazendeiros ricos, Chitanda Eru é a curiosidade encarnada, ela fica extremamente entusiasmada quando alguma coisa chama a sua atenção e está disposta a gastar energia e tempo para saciar qualquer questão que assole sua mente. Apesar disso é uma personagem que do começo até o final me passa tranquilidade (leia-se: CACETE, ELA É MUITO FOFA – não que isso seja algo ruim, Deku enquanto defensor de CGDCTs aprova), carregando nas costas 90% das cenas bonitinhas. Imagino que tenha dado para entender o motivo dela counterar completamente o estilo de vida do Oreki a essa altura.  

Olha a carinha de obsessão absoluta da criança

Algo que é bom contar é que ela é a personagem menos desenvolvida individualmente no anime, e isso não significa que ela seja uma casca vazia, mas o desenvolvimento dela não é tão intenso quanto o do resto dos personagens. Chitanda não tem uma “jornada pessoal”, e isso não é necessariamente um problema, mas como o resto dos personagens do elenco principal passa pelas suas, isso acabou se tornando algo discrepante. É só um detalhe, mas na primeira vez que vi eu senti muita falta disso, gostaria de ter dito mais dela. 

Amigo de infância de Oreki e banco de dados autodenominado, Satoshi é um personagem que de começo parece estar lá puramente como alguém que o autor colocou para ajudar a revelar as filosofias e dilemas do Oreki, isso para quem assiste e de quebra ser um alívio cômico (um muito bom por sinal, do tipo que me fez rir só de aparecer em algumas cenas ashuahsuashua), mas ele não se atém a isso, pelo contrário, Fukube na verdade é um personagem tão bem construído que podia ter uma obra solo dele tranquilamente.  

OLHA SÓ ISSO MANO, ELE É NATURALMENTE ENGRAÇADO KKKKKKKKKKKKKK

Satoshi pra mim é um dos melhores personagens (beirando ser o melhor) da obra, uma parte por causa da sua excentricidade, que torna tudo o que ele fala realmente interessante (parte do conceito dele é literalmente ser um banco de dados ambulante, então faz sentido o que ele fala costumar ser interessante), e a outra por causa da forma que ele é usado pra desenvolver alguns conceitos e sentimentos que eu não vejo sendo tratados por aí com frequência (ao menos não com a abordagem que usaram). 

Ah, outra informação legal é que o Fukube já começa o anime com uma garota tendo sentimentos românticos por ele, sendo ela a… 

SIM, EU FIZ DE NOVO. ALGUÉM TEM ALGO CONTRA QUANTO A ISSO? Não? Bom saber que não vou ter que tomar medidas drásticas por aqui… 

*sons de uma RPG sendo colocada no meu bolso* 

Sobre a Ibara, é bem fácil descrever ela em poucas palavras: ela é uma tsundere. Agora que tirei o óbvio do caminho, eu digo que ela não é uma tsundere convencional, é uma que já se confessou mas não teve resposta, o que já muda completamente tudo o que se poderia esperar dela (leia-se: ELA É UMA TSUNDERE COM ATITUDE E QUE JÁ ACEITOU OS PRÓPRIOS SENTIMENTOS *clap clap clap*). Ela é beeem séria, mas é extraordinariamente boa em cuspir umas palavras cruéis ou tirar sarro de alguém Oreki de vez em quando.  

Ela fica bem feliz quando sacaneia o Houtarou .-.

Agora, se tem algo que eu quero falar sobre a Ibara É QUE ELA ESTÁ DO NOSSO LADO PESSOAL!!! O que eu quis dizer com isso é que nossa pequena tsundere é otakinha. Não é uma informação grandiosa (até porque o que mais tem atualmente é personagem otaku em animes), mas em Honobu Yonezawa and the Classics Club – um livro com histórias extras, entrevistas com o autor da novel de Hyouka, Drama CDs e uns outros conteúdos para fãs – é revelado quais livros o elenco principal tem em sua biblioteca pessoal, e a Ibara tem mangá pra caramba, inclusive todos lançados antes de 2001, já que a lista foi feita baseado na novel (que se passa em uma época diferente do anime, não muda nada na história, só uns detalhes da ambientação mesmo). Eu gastei um parágrafo inteiro falando disso por achar uma ideia muito foda fazer uma “jornada pela biblioteca da Ibara”, se alguém fizer isso algum dia por favor me manda, eu quero muito ver algo assim rolando (o link para as bibliotecas dos personagens está lá no final do post, nos extras). 

Um ponto muito forte da obra são os personagens secundários e figurantes, muitos deles não estão lá só pela piada ou para fazer a trama seguir de forma natural, e até aparecem de novo depois de um tempo influenciando alguns acontecimentos, alguns têm pequenos segredos revelados com o tempo ou aparecem de forma inusitada em um momento específico.

Eu gostei da forma como boa parte deles são orgânicos, podendo ficar com raiva do protagonista sem interferir diretamente na história ou aparecer sem interagir com o elenco principal, só existindo de fundo e note quem quiser. 

Recomendo que todos se atentem ao nome de Sawakiguchi, uma figurante que se tornou uma das minhas personagens favoritas com só umas 3 aparições (nenhuma delas sendo realmente relevante para a história, poderiam ter colocado uma porta no lugar dela e não ia mudar muita coisa na progressão). Ela tem uma personalidade muito bem definida e razoavelmente complexa pra alguém que aparece tão pouco. VOCÊS FAZEM IDEIA DE QUE DESENVOLVERAM UMA FIGURANTE AO PONTO DE ELA TER UMA PERSONALIDADE MAIS PALPÁVEL QUE MUITO PERSONAGEM DE OBRA GRANDE POR AÍ?! É isso, não esqueçam a Sawakiguchi, somos todos Sawakiguchi. 

O rostinho lindo da garota que roubou o meu coração

HISTÓRIA

Antes de tudo, é bom avisar que a história está incompletae quando digo incompleta não quero dizer que você não consiga assistir somente o anime e ficar satisfeito, mas é um final aberto pros only anime, na verdade a novel até hoje tem novos volumes (inclusive o 7 está confirmado, YEEEEEEEEEEEEY) então mesmo que saísse hoje uma nova temporada o anime ainda não estaria finalizado. Caso queira continuar de onde o anime parou e não queira ler a novel saiba que o mangá já passou o anime e lança capítulos mensais, então as coisas vão ficar mais fáceis para você (apesar disso recomendo bastante ler a novel, o mangá não vai alcançar o final do volume 6 tão cedo).

Muitas das minhas reclamações do anime são puramente causadas por não ter uma segunda temporada, a do desenvolvimento da Chitanda mesmo é um bom exemplo de um problema que foi resolvido na novel, mas como eu estou recomendando o anime eu preferi deixar ela lá .-.

“TÁ, AGORA CALA A MERDA DA BOCA E FALA LOGO DA HISTÓRIA” 

NÃO PRECISA GRITAR, CACETE! Bem, aproveitando essa deixa que o leitor extremamente agressivo que meu subconsciente inventou sem nenhum motivo ou contexto deixou, vamos então para a história:

Oreki Houtarou é um colegial que pretendia passar o ensino médio sem se esforçar mais que o necessário em uma vida monótona que ele julgava perfeita para si, mas tudo mudou quando recebeu uma carta de sua irmã, uma antiga estudante de seu atual colégio, que pede para ele se juntar ao Clube de Literatura Clássica (o mesmo clube que ela participou no passado). O motivo? Ele estava prestes a fechar por falta de integrantes. Ao se inscrever para impedir isso (e de quebra conseguir um lugar para descansar depois da aula :v) ele encontra Chitanda Eru, uma garota peculiar que também tinha entrado no clube, mas suas razões eram diferentes das de Oreki.

E ASSIM COMEÇA O PRIMEIRO MISTÉRIO DO ANIME!!! Heh, eu sei, foi um início bem misterioso, mas o intuito aqui é recomendar algo, não explicar a história toda, então se quiserem saber o que vem depois só assistam essa obra prima logo (ou peguem um resumo aleatório da internet, sei lá). 

ACHARAM MESMO QUE EU IA DEIXAR VOCÊS ESCAPAREM DE VER O ANIME?! CAÍRAM NA MINHA CARTA ARMADILHA BWAHAHAHAHA

Sobre a dinâmica da história em si, diria que ela é estruturada no que chamo de três pilares: os mistérios, o desenvolvimento dos personagens e os avanços em suas relações. Esses pilares vivem combinando entre si, então em um momento desenvolvem um caso e puxam o desenvolvimento de algum personagem para ele, em outro a dinâmica entre os personagens muda por causa de alguma situação, e em outro só deixam o mistério de lado e desenvolvem algum personagem. Isso sempre mantêm os arcos interessantes, já que a história não costuma se prender a um padrão de comportamento, não é algo como “introdução do mistério->bloqueio no personagem o impede de chegar à conclusão->resolve o bloqueio->resolve mistério”, ela sempre está se moldando, assim como os personagens, à algo novo e diferente. 

Deixando de lado essas explicações de como a trama funciona, o que me fez gostar tanto de Hyouka, pessoalmente, foi um sentimento que ela me trouxe e que ficou presente durante todo o tempo em que eu consumi a obra: a curiosidade. Tudo o que a obra introduzia me chamava a atenção, as conversas entre os personagens estão sempre recheadas de referências que, caso você tenha curiosidade, te leva a encontrar coisas muito interessantes.

Como os personagens têm uma personalidade e gostos bem definidos os diálogos deles sempre são ricos e, no final, eu me peguei como Chitanda, curioso sobre tudo o que acontecia, e não tinha visto isso antes em um anime de colegial que não envolvesse magia, etc.

Sendo honesto é por isso que senti que devia fazer essa recomendação apesar de ser um anime relativamente famoso (a trama de Hyouka não se resume a um romance incrível – mesmo que as cenas entre os casais sejam perfeitas), os mistérios em situações comuns e todos os detalhes que Honobu Yonezawa colocou enquanto escrevia, sejam os minuciosos nos personagens ao até mesmo definir seus gostos e os fazer impactarem na história ou só um bom mistério com reviravoltas interessantes, foram algumas partes bem marcantes no anime, que para mim são o motivo de sentir tanto carinho por essa obra.

No final de tudo a ideia de Hyouka é bem simples, mas a forma como executam ela me faz sentir que mesmo dedicando um tópico inteiro do post pra falar disso eu ainda não sinto que fiz jus a ela. 

ANIMAÇÃO

EU JÁ VOU CHEGAR COM DOIS PÉS NA PORTA PORQUE O ESTÚDIO QUE PRODUZIU É A KYOTO ANIMATION!!! SIM, A SENHORA DOS SLICE OF LIFE EXTREMAMENTE BEM PRODUZIDOS FEZ HYOUKA, PRECISO DIZER MAIS ALGUMA COISA? Próximo tópico. 

Como eu disse, Kyoto sendo Kyoto

Já que terminei de mostrar o quanto eu amo a Kyoto (não que tenha como não amar), eu tenho que dizer: a animação de Hyouka passa uma naturalidade absurda. Closes em objetos extremamente desnecessários (até você descobrir que precisava desses closes na sua vida), as expressões faciais dos personagens, os cenários, tudo isso cria uma atmosfera bastante “casual”, seja com as cenas do Oreki desnecessariamente rodando um lápis em torno do seu polegar (CADÊ A TAL ECONOMIA DE ENERGIA AGORA?) ou a forma como a Chitanda mexe com a colher em uma bebida e o creme da bebida se mexe junto, sempre há essa atenção aos detalhes que poderiam ser considerados desnecessários, mas mesmo assim foram feitos.  

Eu… talvez tenha aprendido a fazer isso por causa do Oreki…

Outra coisa que Hyouka faz é mudar a estética ou o artstyle como um todo para expressar sentimentos específicos do Oreki (ele é o protagonista, afinal), ou para ilustrar alguma explicação, isso rende um monte de sakugas e umas cenas muito mais expressivas, principalmente quando somam isso a uma metáfora visual (o que costuma acontecer bastante). 

O peso que essa cena traz logo no começo do anime é absurdo

THILHA SONORA 

A TRILHA SONORA DE HYOUKA DEVERIA SER CONSIDERADA A OITAVA MARAVILHA DO MUNDO!!! Ah, mas como deveria… Sério, o Kouhei Tanaka enfiou a porrada musical nos meus ouvidos com uma instrumental incrível, em especial com as cenas de Slice of Life e dos monólogos do Oreki (eu ainda ouço a voz do Nakamura Yuuichi falando quando pego uma delas pra ouvir, é incrível), elas passam um clima bem cotidiano, de vez em quando eu ouço enquanto faço alguma coisa aleatória (inclusive estou ouvindo enquanto escrevo esse post :v). Algo legal das BGMs de Hyouka que eu não posso deixar de falar é que elas usam bastante composições de Bach e de Beethoven, acho que só com isso já dá pra saber o que esperar delas. ¯\_(ツ)_/¯ 

Mano, uma vez eu fiz um bolo de caneca ouvindo isso, foi um dos pontos mais altos do ano passado pra mim

.

ACHA QUE ACABOU?! É CLARO QUE NÃO! Não só de OSTs vive Hyouka, mas também da sonoplastia (caso não lembre o que é sonoplastia, em resumo são os sonzinhos – como os de passos, de uma corrente de água ou de alguém batendo na mesa furiosamente).

Isso é um padrão da KyoAni a essa altura, mas é sempre bom relembrar que as obras dela costumam ter bastante cuidado nesse quesito, então se alguém se ajeita na cadeira (como você deveria estar fazendo agora para evitar que sua coluna vire um S .-.) o som do tecido roçando na cadeira é reproduzido, por exemplo. Pode parecer um detalhe idiota, mas a imersão que isso dá é gigantesca além de não ter nada mais prazeroso que ver um movimento na tela E A MERDA DO MOVIMENTO SAIR, UM VIVA AO ASMR.

EXTRAS 

Fora aquele livro que eu tinha mencionado anteriormente (enquanto eu apresentava a Ibara), Hyouka tem algumas coisinhas aqui e ali, sinceramente é bem menos do que outras obras geralmente têm, mas existem. 

Primeiro temos o OVA Hyouka: Motsubeki Mono wa, que é basicamente mais do mesmo (e mais do mesmo de Hyouka não é algo que se deva desperdiçar). Recomendo que vejam entre o segundo e o terceiro arco do anime, acho que flui melhor e dá um pouco de ar fresco antes do terceiro arco :v

Hyouka também tem dois CD Dramas e um Bonus Audio CD. Caso tenham interesse um fã traduziu pro inglês, então caso queiram dar uma olhada é só clicarem aqui. Na verdade, todos os outros conteúdos adicionais importantes estão nesse link, inclusive parte do conteúdo do Honobu Yonezawa and the Classics Club (sim, de novo o livro mencionado anteriormente) também em inglês, espero que se divirtam lendo isso como eu também me diverti ^^

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Well, espero ter atiçado sua curiosidade *ba dum tssssss* o suficiente para engolirem a obra como se não houvesse amanhã. Eu não consigo pensar em uma boa despedida, então vou traumatizar vocês um pouco… 

SINTAM O PODER DO LAWLIETANDA 

Bem, convivam com essa imagem a partir de agora, assim como eu. 

 

Oh, você ainda está lendo? Já que foi tão persistente vou me despedir sem traumatizar ninguém dessa vez apropriadamente. Tenham um ótimo dia pessoal, cuidado para não inundarem sua cozinha sem querer e 

Que o poder da inutilidade esteja com você 

8 comentários em “Hyouka: O sorvete da curiosidade”

  1. Obrigada pelo post, nunca tinha achado este anime interessante, mas você mudou a minha opinião. Agradecida.
    Por mais post como este.

    Curtir

    1. Eu fico realmente feliz de você ter dado uma chance para a obra depois do post ^^

      Eu que agradeço por ter lido e gostado do post, vou tentar trazer mais o mais rápido que puder u-u

      Curtir

  2. Seu post ficou muito bom!!

    Admito que quando vi Hyouka, ainda estava começando entrar nesse vício de animes (momentos antes da merda acontecer TM) e não dei a devida atenção pra ele, mas agora fiquei com vontade de revisitar essa obra depois de ler seu texto (:

    Ansiosa pra próxima indicação 👀

    Curtido por 1 pessoa

    1. ARIGATHANKS MIH T-T

      Eu sinceramente não culpo, tem muitos animes que acabaram passando por isso comigo também. Fico feliz que vc vai rever, é um anime bem único, o autor realmente se dedicou aos detalhes (na vdd eu msm quero rever Hyouka dnv KKKKKKKKK)

      Talvez a próxima indicação esteja mais próxima do que vc imagina 👀

      Curtido por 1 pessoa

  3. Ei, cara! Só queria falar que seu post ficou muuuito bom! Hyouka é um anime que já assisti há um tempo (já até escrevi sobre ele tbm kkkkk) e ele é tão injustamente pouco falado… então achei a sua escrita incrível! Muito expressiva e trouxe de um jeito bem legal a essência do anime. Adorei! 😀

    Curtido por 1 pessoa

    1. Arigathanks, eu fico legitimamente feliz quando alguém se conecta com o que eu escrevo, então o teu comentário deixou meu dia bem feliz 😀

      Sobre Hyouka, ele é realmente um anime bem subestimado, eu achava que não, mas já conversei com umas 3 pessoas que me falaram que pararam de assistir “pois dava muito sono”. Admito que eu fiquei meio triste, mas é a maldição dos Slice of Life sem completo foco em romance escolar :/

      Enfim, que bom que gostou do texto, eu também me diverti bastante escrevendo ^^

      Curtir

  4. Parabéns pelo segundo post, Deku! (E já não era sem tempo *COFFCOFFFF*)
    E você conseguiu me fazer ter vontade de ver um anime que eu com certeza ia protelar pela eternidade (mas ainda não sei quando verei hue). Confesso que gostei muito da ideia das bibliotecas pessoais dos personagens, e já fui dar uma olhada justamente nisso *aceno de cabeça satisfeito*
    Obrigada também pela cursed pic, era justamente o que eu precisava pra começar meu dia.

    Curtir

    1. Um ano foi o suficiente pra eu vencer meu vício em Genshin e escrever algo :v

      Fico feliz de saber que eu consegui cumprir meu objetivo, meu plano de fazer todo mundo ver Hyouka um dia vai acontecer u.u

      Essa ideia da biblioteca foi a primeira coisa que me chamou a atenção quando eu fui pesquisar por conteúdo adicional, na vdd eu só encontrei o site que eu coloquei aqui no post pq eu fiquei obcecado tentando encontrar as bibliotecas pessoais dos personagens ¯\_(ツ)_/¯

      De nada, como a boa pessoa que sou eu precisava de passar minha experiência nada traumatizante para o máximo de pessoas o possível :v

      Curtir

Comenta aí, meu povo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s