Indicação - anime

Run with the Wind – Muito mais do que um simples anime de corrida.

Oya oya oya quem apareceu por aqui o/ como estão vocês aí?

Pela primeira vez na vida, um post meu que não seja relacionado a música embora elas estejam fortemente relacionadas a ele, além de ser minha primeira indicação por aqui.

Eu sempre tentei indicar uma coisa ou outra, mas acabava parando no meio do caminho por motivos pessoais mesmo lê-se não ter autoconfiança suficiente para sugerir algo que >eu< gostei para as pessoas, mas já que você está lendo isso, é sinal que dessa vez deu certo.

Depois dessa introdução autodepreciativa meia boca, vamos ao que interessa o/

Kaze ga Tsuyoku Fuiteiru

Run with the Wind

Trailer para ilustrar

Eu ainda me sinto órfã desse anime, foi meu preferido de 2018/2019. De lá pra cá já assisti duas vezes, mas se contar as vezes que revi episódios específicos, esse número pode ser bem maior. Depois de mencioná-lo no meu post sobre OSTs eu lembrei (de novo) porque eu gosto tanto dele e por este motivo, o escolhi para ser o primeiro anime a panfletar indicar aqui no blog.

Este foi um anime da temporada de outono de 2018, foi ao ar entre 03 de Outubro de 2018 a 27 de Março de 2019 tendo ao todo 23 episódios, ou seja, completinho e disponível na Crunchyroll para você assistir.

Feito pelo Studio Production I.G (o mesmo de Haikyuu, Kuroko no Basket, Shingeki no Kyojin, Psycho-pass, Kimi no Todoke, Ao Haru Ride, Mahoutsukai no Yome e por aí vai….), o anime é baseado na novel de Shion Miura, e está classificado nos gêneros de comédia, esporte e drama com a pontuação de 8.48 no MyAnimeList, até a data desta postagem, caso isso importe para você. 

A novel foi lançada pela editora Shinchosha em Setembro de 2006 e eu já revirei a internet feito louca procurando por ela, mesmo que fosse em inglês, mas nunca encontrei uma tradução oficial. Eu desisti, mas acho que ela não foi traduzida para o inglês mesmo não. Pelo que eu vi aqui, ela tem 507 páginas e neste tumblr, traduziram até a página 503, então acredito que esteja completo, é uma tradução não oficial, mas ok, que posso fazer?

Além da Novel, foi gravado um filme Live action em 2009 chamado Feel the Wind (Sinta o Vento).

Vou deixar aqui só o teaser, pois o trailer, pelo que vi, tem justamente o spoiler que eu estou evitando dar a vocês.

Mas, caso queira ver mesmo assim: aqui está.

E esse vídeo edit com uma das minhas músicas favoritas da OST do anime com o ator que faz o Kakeru.

Achei legal que ele está realmente correndo nas cenas, ficou bonito, mas posso ser suspeita para falar algo.

Particularmente não sou uma fã de live actions, só vi um até hoje, mas eu super assistiria esse só por causa do elenco mesmo, que eu achei todo mundo tão carismático, principalmente o ator que faz o Musa.

Olha o sorriso dele que coisa mais linda :3

Não dá para falar muito, já que não o assisti ou li a novel, então fica só a título de curiosidade mesmo.

Vamos falar do que eu realmente assisti agora o/

Consigo ouvir a música que deveria estar tocando aqui.

A seguir, teremos uma quantidade relevante de spoilers sobre o primeiro episódio, então, pensa aí se vale a pena continuar lendo tá?

Kaze Ga (como eu me acostumei a chamar), conta a história de Kageyama Kakeru Kurahara que é tido como um ex-corredor de elite, a história começa no momento em que ele é salvo por Haiji Kiyose de uma situação bem complicadinha em sua vida.

Quando Haiji vê o Kakeru seus olhinhos até brilham! 

“Gosta de correr?” é tipo um “oi, quer vender sua alma para mim?”

Prometendo ajudar o Kakeru em uma situação, que eu não devo contar por motivos de spoiler, Haiji então convence Kakeru a se mudar para o Chikusei-sou, uma “república” baratinha que ele divide com outras oito pessoas.

Eu não sei se os japoneses têm um ditado pra isso, mas já diz o povo aqui que, “quando a esmola é boa demais, o santo desconfia”, ao menos foi esse o pensamento que me veio imediatamente depois de mostrar o Haiji levando o Kakeru para o Chikusei-sou, já apresentando o pessoal, o quarto que ele iria ficar e sendo todo solícito com ele talvez até demais

Sim, ele estava do outro lado agorinha
Solícito é puro eufemismo

Dependendo da pessoa dá até pra pensar errado do Haiji, mas a classificação do anime é 13 anos, então não… Se bem que Shion Miura é fã de yaoi né, então isso explica porquê vez ou outra tem umas cenas potencialmente ambíguas ao longo do anime *insere emoji com carinha sugestiva*.

“Kakeru, você tem namorada?”
“Porquê você quer saber, Haiji-san?”
“Então…..”

Passado o sustinho inicial (de o Haiji o flagrar pelado antes do banho umas 2x), de repente, Kakeru se vê junto a todos os moradores do lugar, ao redor da mesa para jantar enquanto eles (não o Kakeru) tomam umas também, como se ele fosse o convidado de honra daquela casa.

Tanto que o pobre fica lá assustado e com cara de bunda, sem saber o que dizer ou fazer com aquele povo barulhento e entrosado demais. 

Mas, obviamente que tinha algo por trás disso tudo né. 

“Ainda quero comprar sua alma se você tiver interesse”

Todos ali sabiam que Haiji estava esperando o décimo homem daquela casa, mas, enquanto alguém poderia pensar que era só para complementar os quartos disponíveis e garantir o apê, ou algo do gênero, na verdade Haiji queria reunir um time único para correr na Hakone Ekiden, ou Tokyo-Hakone Round-Trip College Ekiden Race, uma corrida universitária que ocorre anualmente no Japão sempre nos dias 2 e 3 de janeiro. 

São ao todo 217.9 quilômetros (sendo 108 no primeiro dia) divididos em dez sessões, cada uma com sua particularidade, algo que até é bem explorado no anime, pois cada sessão requer um tipo de corredor diferente e por isso que a quantidade mínima de participantes é de dez pessoas.

Se quiserem saber mais a respeito da Hakone Ekiden, vocês podem clicar aqui e dar uma olhada em uma matéria a respeito da corrida, tem muitas informações interessantes sobre detalhes que, ou não ficaram muito claros no anime, ou eu que não percebi mesmo por estar muito concentrada em admirar a beleza do Haiji, o melhor é que está tudo em português (de Portugal, mas em português).

Graças a este tweet, nós sabemos que o anime se saiu muito bem na apresentação dos cenários, achei legal ver a comparação:

Mas voltando para o anime, o tal time único que o Haiji reuniu, tem um pequeno problema: só ele, o Nico-chan senpai e, agora, o Kakeru, tinham alguma experiência com corrida, e olhe lá, poia ainda há algumas particularidades com relação ao Nico-chan e ao próprio Haiji que são reveladas em episódios posteriores. ‘-‘ 

Essa foi a reação do povo:

Esse Haiji é muito espertinho mesmo.

Eu ri demais nessa cena! Nela por um segundo você pensa: “Ah, legal ele reuniu o pessoal que queria e agora vai correr…” mas logo de cara o Kakeru fala que não vai! 

Repare na cara do Haiji neste momento, foi o exato momento em que ele ganhou meu coração! Ele não se abalou nem um pouquinho! O décimo homem que ele tanto aguardou, finalmente surgiu diante dele e quando aparentemente a história seguiria por um simples arco de treinamento, comum a todos os animes de esportes, Kakeru me vem com essa palhaçada recusa logo de cara.   

Mesmo não tendo sido o único a recusar a ideia, o Kakeru foi o único a falar um alto e sonoro “NÃO” na cara do Haiji, ganhando assim meu coração também. Tem coragem o menino! 

Eu juro que passei semanaaaas com a cena na minha cabeça! A expressão do Haiji, a recusa do Kakeru, todo esse contexto bem básico ao qual somos apresentados no primeiro episódio, eu não consegui esquecer!

Nesse ponto da história e durante um bom tempo na verdade, não temos total ideia do porquê correr na Hakone Ekiden é algo tão importante para o Haiji, mas você assiste essa cena e sente que é. Simples assim. 

Quando o Kakeru recusa, a câmera foca no Haiji por um momento e fica claro ali, só pela expressão dele, que ele lutou muito pra chegar até aquele ponto. Pelo menos foi a impressão que me passou.

Dá até uma leve raivinha do Kakeru nessa hora por recusar tão imediatamente dessa forma.

Outra coisa que pra mim fica bem evidente nessa cena, além de aquilo ser importante para o Haiji, é que ele não vai desistir tão fácil assim! 

Para mim essa foi a temática mais importante de Kaze Ga.

Ao mesmo tempo que gostava cada vez mais da história, ao longo do anime, eu conseguia ver cada falha também. Não dá para dizer que é uma obra grandiosa, magnifica e profunda, daquelas que muda a sua vida, mas algo na história me fazia gostar dela de uma maneira que até parecia exagerada e superestimada.

Eu só percebi o porquê desse fascínio todinho ao assistir o vigésimo episódio.

O bendito episódio que me fez ficar chorando por um tempão, de um jeito que eu nunca chorei por Haikyuu. De um jeito que nem One Piece me fez chorar até hoje! Pelo que me lembro só Hunter x Hunter tinha feito isso comigo, mas não chegou nem perto de como me senti nesse episódio, foi algo muito mais pessoal. 

Eu me apaixonei pela história do anime de uma forma muito intensa logo de cara, no primeiro episódio mesmo!

Intensa no nível “querer obrigar todos os meus amigos a assistirem também”, mesmo que o começo dele tenha sido lento (segundo me disseram, pois eu nem notei), a cada episódio que passava eu me apaixonava mais e mais pela história!

Depois daquele episódio eu me perguntei:

“O que significa isso minha gente!? Eu posso até gostar da história, mas sejamos francos, não é essas coisas todas também pra me fazer ficar bons quinze minutos pós episódio ainda emocionada pela cena! O que está acontecendo aqui!?” 

Não sei vocês, mas eu gosto de entender meus porquês bem direitinho, autoconhecimento é tudo na vida do ser humano, anotem isso! Depois que eu me acalmei, fiquei pensando no episódio em si e na história contada até ali e me perguntando: 

O que Kaze Ga tem de tão especial? 

Cheguei a conclusão de que foram quatro motivos.

  1. Essa temática de seguir em frente, não desistir mesmo diante dos obstáculos; 
  2. Um detalhe na história do Haiji e como ele se porta diante disso;
  3. A evolução do Kakeru, como e por que ela acontece;
  4. O momento em que eu o assisti. 

Ou seja, algo muito, muito pessoal.

Essa temática (a do item 1) é bem comum a qualquer anime de esportes, certo? Seja de forma direta como foi em Kaze ga, seja de forma indireta no sentido de “precisamos continuar treinando”, que percebo existir em Haikyuu, por exemplo.

Eu vi poucos animes de esporte até agora (eu sou uma otaku novinha ainda), mas eu acredito que, pelo menos a maioria deles, tem essa temática como constituinte de sua estrutura. O esporte em si já inspira isso de superar as adversidades e tudo mais, porquê seria diferente num anime não é mesmo? 

“Mika é uma senhorinha então?”
Pera que não é pra tanto também…

Embora eu seja uma otaku novinha, já faz tempo que tô naquela fase da vida em que as pessoas trabalham para pagar seus boletos e sustentar seus vícios, afinal internet para ver os animes, comidinhas e as despesas de uma casa não se pagam sozinhas.

Digamos que estou ali perto da faixa etária dos personagens (principais), talvez um pouco depois, mas quem se importa com detalhes né?

Isso por si só já gera uma grande identificação em que está assistindo, apesar de vivermos em países completamente diferentes, algumas problemáticas são universais. E, embora eu nunca tenha praticado nenhum esporte na vida, esteja numa situação e contexto completamente diferentes da do Haiji, a história dele e a minha possuem alguns pontos em comum.

Como eu disse, meu grande apreço pela história só ficou claro no episódio 20, quando um certo alguém falou exatamente isso:

Imagine sua própria resposta para essas perguntas e chegue à sua própria conclusão.

🙂

Quando eu pensei que não poderia chorar mais em um único episódio…

Vendo isoladamente assim não parece nada demais, mas assistam, prestando atenção no Haiji e vocês vão entender u.u

E de novo, quando eu pensei que não poderia chorar mais em um único episódio, começam a focar na história logo de quem?

Do Haiji! Isso mesmo! Olha a minha sorte!

Saí destruída. E olhe que foram meros cinco minutinhos focando nele nesse momento viu…

Eu sou muito boiola por esse 2d armaria >.<

Só queria dizer que, mesmo que eu tenha me apaixonado identificado mais com o Haiji e com o Kakeru, por suas histórias, relação e postura diante de determinadas situações, cada um dos personagens são bem críveis, carismáticos e charmosos o suficiente para te conquistar.

Todos eles merecem o seu amor.

Infelizmente achei que alguns tiveram mais tempo em tela que outros e uns receberam o devido foco apenas no final, mas ainda assim, dentro da proposta da história, acredito que Kaze Ga desenvolveu bem seus personagens. 

Outro ponto que mais me encantou foi o desenvolvimento do grupo como um todo. Até penso que o não aprofundamento de uns personagens em comparação a outros, se deu por causa disso.

Quando Kakeru rejeita a ideia do Haiji e fica claro que ele não desistirá, episódio após episódio nessa primeira parte, conhecemos a determinação ferrenha deste personagem em convencer os demais a correr junto dele. O que rende ótimas cenas nos primeiros cinco episódios da história.

Além de lindo e maravilhoso – já está claro que ele é meu personagem preferido aqui ou preciso falar mais alguma coisa? –, ele é um ótimo líder, daqueles bem estrategista e perspicaz sabe? Além de se preocupar e cuidar de cada um dos amigos de equipe, às vezes até às últimas consequências.

Pouco a pouco os rapazes vão se rendendo, inicialmente por pura chantagem, manipulação ou ameaças de despejo por parte do Haiji mesmo.

Por que sim, ele é desses.

Mas é possível ver que o Haiji vai conquistando o coração de todo mundo e logo todos eles começam a se empenhar cada vez mais a este projeto. Dê uma chance você também, pois eu tenho certeza que você vai se render aos encantos do Haiji, igual a mim e a galera da Chikusei-sou.

Embora seja uma das minhas partes preferidas dentro da história, aí reside a minha única crítica ao anime (até o momento): se quase todos eles são amadores, ficou meio irreal o rápido desenvolvimento deles no que diz respeito a corrida em si, mesmo se esforçando bastante, ninguém se torna um atleta em tão pouco tempo.

Mesmo com todo apoio e incentivo que eles tiveram.

Acredito que para uma pessoa que entende do assunto, talvez essa parte incomode um pouco, maaaaas como eu tô mais interessada no desenvolvimento dos personagens, roteiro e como eles vão estreitando um pouco mais seus laços conforme os episódios se passam, isso não chega a ser um problema muito grande para mim, embora seja digno de nota.

Voltando ao nosso personagem principal. De quem eu mal falei???

Tão lindo com essa carinha de sério mondeus

Mesmo decidido a não participar, Kakeru segue manhã após manhã saindo para correr “com os demais”, e é interessante ver quão distante ele se mantém dos colegas nesse começo, tanto física, quanto emocionalmente e como isso vai mudando de maneira gradual e orgânica dentro da história.

Essa aproximação, como era de se esperar, vem acompanhada de alguns conflitos, pois o Kakeru tem suas próprias questões pessoais e devido a acontecimentos de seu passado, ele não se dá muito bem com as pessoas ao seu redor. 

O desenvolvimento do Kakeru é um dos melhores detalhes da história. Que eu vou deixar para vocês descobrirem e analisarem por vocês mesmos, pois agora eu vou mimbora antes que eu acabe dando mais spoiler do que já dei.

Eu sei, foi uma despedida bem abrupta né? Mas é pra ver se vocês pegam no tranco e saem daqui indo direto para o site de animes de sua preferencia para assistir ao primeiro episódio, desculpa.

Para amenizar isso, escuta essas duas musiquinhas lindas e maravilhosas que são as endings desse anime.

Acharam que não ia ter música num post meu?

Ai, desculpa pelo “otário” é só meme, tá?

É obvio que tem que ter! Pois eu sou muito muito muito muito apaixonada por elas! E podem esperar um post só sobre o Taichi Mukai o/

Vou deixar a tradução que eu achei em português também por que sim ❤ fiquei tãããããão feliz quando encontrei elas, vocês não tem noção *-*

Taichi Mukai – Reset

Tradução para o português aqui

Taichi Mukai – Michi

Tradução para o português aqui

Então, é isso minha gente.

Eu passo a faixa para vocês, vão lá assistir Kaze ga o/

Ok, eu sei que isso provavelmente foi brega demais, desculpa >///<


7 comentários em “Run with the Wind – Muito mais do que um simples anime de corrida.”

  1. Acabei de terminar o anime e como toda obra que me faz chorar , que nem uma criança quando descobre que papai noel não é real(desculpa gente). Tive de pesquisar opiniões semelhantes a minha e vim parar aqui. Gostei muito do post e provavelmente vou aparecer mais vezes por aqui hihihi.

    Curtir

  2. Acabei de terminar o anime e como todo anime que eu choro que nem um bebê, fui na internet pesquisar opiniões parecidas, gostei muito do post. Vou rodar por aqui mais vezes hihi.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Ain é muito lindinho né! Também faço isso, é a vontade de confirmar que mais alguém “sofreu” que nem a gente ne kkkk Muito obrigada por vir :3 apareça mais vezes, sim e fica à vontade 🙂

      Curtir

  3. E lá vou eu assistir outro anime de esporte por indicação sua. Espero que nunca mais se sinta insegura para fazer posts desse tipo porque isso está LINDOOOOOOOO.

    Parabéns Mika-chan, estou orgulhosa de você!!!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Quem vê pensa que eu já te indiquei trozentos animes de esporte diferentes kkkk só Haikyuu e Kaze Ga, talvez Hoshiai no Sora(estava nos meus planos pelo menos).

      Obrigada 😊 depois me conta o que achou do anime 👀✨

      Curtido por 1 pessoa

Comenta aí, meu povo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s