Hakuouki Megapost – O que é essa monstruosidade e por onde começa?

Eaê povo, tudo em riba?

Voltou a Xícara pra surtar de novo em outro post gigantesco (dessa vez com mais de 5000 palavras(!), mas tem um bom motivo).

Hoje vou tratar do inferno sem volta que é essa coisa demoníaca chamada Hakuouki. Tá, é uma franquia velha e o que eu vou escrever provavelmente não vai ser novidade pra ninguém. Meu primeiro objetivo era só fazer um guia de todos os títulos da série, aí pensei que devia fazer alguma introdução e recomendação para os mais desavisados. decidi que era uma boa oportunidade de fazer uma breve introdução aos otome games em geral, já que esse é um dos grandes jogos do gênero. Então espero que sirva também de introdução pra quem ainda não sabe se quer mesmo se meter nessa furada.

Se você só quer ver o guia completo da franquia, sem os meus surtos no meio, pule para o fim do post.

hakuouki megapost capa


Primeiro: o que é um otome game?

Introdução resumida ao extremo: Otome game é o nome genérico dado aos jogos de romance direcionados para o público feminino. Mais especificamente, é aquele tipo de jogo em que a personagem principal é uma mulher cercada por vários homens (bonitos, claro), e um dos objetivos é que ela termine a história com um deles. Parece idiota? Sim, eu também acho. Mas já estamos nesse barco furado então a vida segue.

Mas então eu só posso jogar se estiver a fim de ver uns hómi bonito? Não necessariamente. Eu admito que se você pelo menos aproveitar a presença dos hómi a experiência fica um tanto mais completa; mas, dependendo do otome game, a história talvez seja tão boa que pode ser aproveitada por si só. Depende muito da opinião (e da sua sorte em escolher um que não seja 100% baseado em fanservice; por sorte, Hakuouki é uma boa escolha).

Muitos dos otome games são em formato de visual novel, ou seja, aqueles jogos que praticamente só têm texto e imagens semi-estáticas dos personagens, com umas escolhas pra fazer de vez em quando. Dependendo das escolhas do jogador, a história vai para rotas diferentes que levam a vários finais alternativos; no caso dos otome games, finais em que a protagonista acaba com um personagem diferente. Por isso, uma das características das visual novels (e consequentemente também dos otome games) é que você tem que jogá-los mais de uma vez pra poder ver todos os finais diferentes.

ulus10577_00008

A primeira de todas as escolhas de Hakuouki, como exemplo.

Anos atrás, uma das modas entre garotas do fundamental era esse troço chamado Amor Doce; se você conhece, então já sabe mais ou menos a ideia de um otome game. Eu nunca cheguei a jogar Amor Doce, primeiro porque eu era um lixo de pré-adolescente e achava ridículo (aquela pessoa típica que quando começou a ler mangá só lia Shounen Jump), e hoje em dia porque não tenho vontade mesmo (shame on me). Mas é fato que eu já tô enrolada até o pescoço nesse gênero, então decidi arrastar o máximo possível de pessoas comigo (não sei o que a eu de 12 anos pensaria da eu de agora mas enfim).

Como foi Hakuouki a primeira desgraça que começou a desandar a minha vida pra esse lado, é exatamente por ela que eu vou começar. As outras pessoas deste blog que também são fãs que me perdoem (eu sei quem vocês são, não tentem se esconder), mas esse troço não consumiu três anos da minha vida pra eu ficar quieta sobre ele.

OK POVO, VAMOS FALAR DE HAKUOUKI

281825-EiraDicra

Vocês tenham certeza que eu fiquei muito feliz de ter uma desculpa pra sair caçando imagem promocional no google

Informações técnicas básicas:

Hakuouki é um otome game lançado pela primeira vez em 2008 para PlayStation 2 pela Otomate (subdivisão da Idea Factory), que é um nome de muito peso no ramo. Apesar de ser inicialmente só mais um jogo entre vários no Japão, no ocidente o seu sucesso abriu as portas para o resto do gênero, já que foi o primeiro otome game a ser traduzido e localizado por essas bandas (nos EUA na verdade, mas daí para o ocidente em geral), e surpreendentemente fez muito sucesso. Hoje em dia, temos uma penca de jogos, animes, mangás e até um dorama na franquia, e Hakuouki se tornou um daqueles jogos que os fãs de otome game têm que jogar pelo menos uma vez na vida nem que seja pra falar mal depois.

Gêneros: Ação, histórico, sobrenatural, drama, samurai, romance. Eu também colocaria tragédia, gender bender e alguma coisa de guerra.

Curiosidade: A classificação indicativa do jogo varia dependendo do país: no Japão é 15+, nos EUA é 17+, e o site oficial só te deixa entrar se você for maior de 18 (LÓGICA PRA QUÊ). Pessoalmente, e pra usar um padrão que a gente reconheça nesse país, eu situaria mais ou menos em 16+; honestamente não chega nem perto dos níveis de conteúdo explícito que circulam por aí hoje em dia oi novela da Globo, mas esteja avisado que contém sangue, morte e sofrimento.

Curiosidade 2 (sobre o título): Hakuouki significa literalmente o subtítulo do jogo em inglês: Demon of the Fleeting Blossom (“demônio da efêmera flor [de cerejeira]”). Já o subtítulo original, Shinsengumi Kitan, significa “histórias misteriosas do Shinsengumi”. O título pode ser escrito tanto como Hakuoki quanto como Hakuouki ou Hakuōki; todos estão certos, é tudo uma questão de romanização. O título escolhido oficialmente em inglês é Hakuoki, mas eu prefiro Hakuouki por escolha pessoal.

tumblr_p8bhmgmwjp1xr2rfvo2_1280

Spoiler de CG pra vocês

Sinopse:

Chizuru Yukimura é a filha única de um médico na Edo de 1864. Quando seu pai desaparece durante uma viagem a Kyoto, Chizuru se disfarça de homem e vai atrás dele sozinha, certa de que vai conseguir se defender do que for só porque carrega uma espada (tá, vai lá inocente). Já na sua primeira noite na cidade ela acaba se perdendo (eu na vida) e vendo coisas que não devia, só pra depois ser levada para o quartel-general do Shinsengumi pra ser silenciada. Acontece que o Shinsengumi também estava procurando pelo pai dela, e Chizuru consegue fechar um acordo para ficar por ali até encontrá-lo. É a partir daí que ela acaba metida não só nos assuntos políticos do grupo, mas também em segredos muito piores — alguns deles relacionados à própria Chizuru.

Queria por o vídeo de abertura original do PSP mas só achei com qualidade ruim, então vai o de Kyoto Winds mesmo.

 


Vou aproveitar pra esclarecer um pouco o cenário da coisa, começando com a pergunta de um milhão de dólares:

“Que diabos é um ‘Shinsengumi’?”

Aqui está um assunto sobre o qual eu poderia falar por horas (e provavelmente farei isso em outro post gigantesco), mas por enquanto vou dar a versão reduzida. O Shinsengumi foi uma polícia especial que atuou entre os anos de 1863 e 1869 (período do Bakumatsu, o fim do xogunato Tokugawa seguido da Revolução Meiji). Eles eram aliados do xogum (o lado que perdeu no final, lembrem-se disso) e tinham a missão de manter a paz na cidade de Kyoto, especialmente protegendo os cidadãos de ronins. O único detalhe: eles eram tão violentos quanto os ronins.

Apesar da sua fama não tão nobre na época, o tempo fez do grupo um ícone no imaginário japonês: entre as regras do Shinsengumi estava a obediência ao Bushidou, o código de honra samurai, fazendo deles grandes símbolos de “resistência do modo de vida samurai” ou ainda de “os últimos samurais”. Além disso, dizem que vários dos seus guerreiros eram fortes pra burro, então a cultura popular fez o resto. Até hoje eles aparecem em mangás, animes, doramas, jogos e o escambau, geralmente cercados de reflexões sobre “o fim da era dos samurais” e o que for.

Sempre que vocês estiverem ~de boas~ vendo seu dorama histórico e esses malucos de haori azul aparecerem no fundo, agora vocês vão saber do que se trata (aliás esse dorama da imagem é Shinsengumi!)

E por que isso interessa para o nosso otome game? Simplesmente porque:

Hakuouki se baseia em fatos e pessoas de verdade

Sim, a maioria dos personagens realmente existiu, e a linha do tempo da história segue eventos históricos que você pode até achar na Wikipédia, como o famoso Incidente de Ikedaya e a sempre emocionalmente destruidora Batalha de Hakodate.

-bussufs

Top 10 fotos tiradas logo antes do desastre Grande parte da nossa gangue do Shinsengumi, com a Chizuru e o Kazama de penetras porque eles não existiram de verdade (Sannan ali no canto com pose de “ai sou muito diva”).

Nossa quanta gente bonita num lugar só, dá até pra formar uma boy band Olha meu filho, romance histórico sempre vai ter uma boa dose de maquiagem histórica. Se você quer ver a cara de verdade das pessoas você vai pesquisar na internet em sites sérios, não jogar otome game (pelo menos o Hijikata era bonitão na vida real também shhh). A arte, aliás, é da maravilhosa Kazuki Yone (isso até chutarem ela da franquia, mas isso são outras fofocas).

Então quer dizer que tudo nesse jogo é verdade, tirando as coisas que não são É mais ou menos por aí mesmo. Tudo é verdade menos a parte dos samurais vampiros mortos-vivos.

“É o quê??”

Opa, falei demais. Mas é bom deixar avisado que Hakuouki não economiza nos elementos sobrenaturais. Sem muitos detalhes, essa é em geral a parte mais criticada da coisa. Tenho que admitir que não sou a maior fã de história de vampiro que existe, então não sei dizer se concordo com tudo que foi enfiado dentro da trama.

Pera, você tá indicando um negócio que você não gostou? Não, cara. Eu gosto da história mas não preciso concordar com ela em tudo. Talvez seja na verdade um dos pontos positivos de Hakuouki: mesmo não sendo o tipo de coisa que eu normalmente leio, acabei gostando.

Digam o que disserem, Hakuouki até que é uma história bem balanceada; isso no sentido de não focar só no elemento de romance, mas também no que está acontecendo no fundo. Talvez seja um pouco por causa da questão histórica (fãs do Bakumatsu, regozijai-vos), que força sempre a trama a fazer alguma relação com a realidade.

Em resumo, a história não gira só em torno da protagonista e da sua vida amorosa.

ulus10577_00001

Típica explicação de contexto no meio da história; arrisco dizer que a Chizuru fala mais do Shinsengumi que da vida dela

E até mesmo a estética da coisa não é jogada de qualquer jeito. Ela tem um tema coerente: a  relação entre a vida curta do guerreiro e a flor de cerejeira (não é à toa que o jogo tem o título que tem). Você vai ver esse assunto repetido várias vezes; na verdade, esse é um tema literário clássico e frequentemente associado aos samurais, então eu tenho que admitir que, se aproveitando disso, Hakuouki consegue uma boa dose de classe (mesmo que seja clichê). E se você é sensível a temas como “efemeridade da vida” e “felicidade passageira”, prepare-se pra chorar.

ulus10577_00004

Saitou versão ~sentimental~

Na verdade, prepare-se pra chorar de qualquer jeito. Quando eu disse “baseado em fatos reais” e “o Shinsengumi estava do lado do xogum, que perdeu” você já tinha que ter sentido o cheiro de tragédia no ar.

Pessoas morrem. Várias. Em todas as rotas.

Ai mas não tem os finais felizes? É só fazer as escolhas certas que ninguém morre né? Errou, palhaço. Pessoas morrem em todas as rotas, até nas felizes. Aliás, eu nunca disse que essas rotas eram felizes, e sim que eram finais em que a Chizuru acaba com o personagem escolhido. Pra cada personagem que você escolher, tem mais uma dúzia prontinha pra morrer do jeito mais triste na mesmíssima rota (eu sabia o que ia acontecer mas ainda assim o final da primeira temporada do anime acabou comigo de uma forma que eu não achava possível).

hakuouki.shinsengumi.kitan.full.191546

Quando tá todo mundo enfileirado de costas com uma luz vindo do fundo você sabe que tem alguma coisa muito errada


Personagens

Se me deixassem, eu ia ficar aqui horas falando mil coisas aleatórias dos personagens, minhas opiniões pessoais sobre cada um e etc; mais um pouco e eu ia das spoiler de todas as rotas, e não é bem esse meu objetivo agora (quem sabe num futuro próximo). Então vou tentar manter essa parte resumida e com informações que realmente interessem.

tumblr_p8bhuwuucr1xr2rfvo1_1280

Melhor imagem que eu achei com todos os personagens com rota, incluindo os do remake (mas pqp que imagem maravilhosa); ceis me desculpem que tenha ficado muito pequena, então botão direito -> procurar imagem no google -> todos os tamanhos.

Acho que um dos melhores jeitos de convencer as pessoas a jogar um otome game é usando os dubladores, então vamos começar por eles (só dos personagens com rota ou a gente ia ficar aqui o dia todo):

(* = apareciam no jogo original mas só tiveram rota no remake | ** = só aparecem no remake | *** = tinha uma rota de consolação no original e ganhou uma rota completa no remake)

(Olha todos os seiyuus dos personagens novos do remake são ótimos mas o único grito histérico que eu dei na vida foi quando eu vi o nome do Daisuke Ono no elenco porque pqp)

Aproveito pra espalhar esse vídeo (infelizmente em péssima qualidade) de um after record em que os dubladores dos cinco principais (Miki, Morikubo, Toriumi, Yoshino e Yusa) são desafiados a interpretar ao vivo uma cena do anime, primeiro com sotaque de Kansai, depois imitando o Kenjirou Tsuda. Infelizmente não tem legendas (só em chinês huehue), mas ouso dizer que não precisa (eu ri por uns cinco minutos direto e quase tive asma).

 

Pra evitar a minha tagarelice infinita, decidi deixar o resto em tópicos, pra dar a impressão de que eu sou objetiva:

  • Só pra deixar avisado, Hakuouki tem muito poucas personagens femininas; você que decide se isso é um defeito ou não;
  • É bem provável que você saia gostando de todos os personagens de uma forma quase igual; eles são feitos pra isso. Apesar de tudo, da última vez que eu conferi, o Saitou liderava o ranking de popularidade, seguido de perto pelo Okita e pelo Hijikata. Não sei dizer a quantas anda a popularidade do Kazama porque ele é controverso (e os roteiristas abusam dele como coringa da história). Igualmente, se você encontrar alguém que gosta do Sannan, me apresente porque eu não acredito sem ver (dar uma rota pra ele foi um erro, pronto falei). Só pra constar, todas essas estatísticas são tiradas da cartola (pra não dizer outra coisa), porque os únicos números concretos que eu tenho pra isso são os daquela votação milenar na página inicial da Hakuouki Wiki, que confirma o que eu já sabia mas enfim, confiar cegamente naquilo é outra coisa;
  • A Chizuru é infinitamente melhor nos jogos que no anime. Na verdade, discute-se muito se ela seria uma personagem irritante sem instinto de autopreservação e que só sabe gritar o nome das pessoas que vieram salvar ela do [insira perigo aleatório aqui], ou se morar no QG do Shinsengumi em pleno século XIX faria dela uma pessoa muito ~moderna~. Pessoalmente, eu até que gosto dela e acho que ela tem suas qualidades, mas isso porque eu comecei pelo jogo. O resumo é:
    • Chizuru do jogo = OK
    • Chizuru do anime = prepare seu chazinho de camomila e suco de maracujá porque ela é irritante
  • Títulos mais recentes da série (como os filmes e o remake) têm tentado fazer da Chizuru uma pessoa menos inútil, coisa que eu aprecio. Ainda não consegui ver se algum outro personagem muda muito, mas digo apenas que o Kazama é consideravelmente menos babaca nos filmes.

 

Tá, vamos pra parte que realmente interessa no post:


Guia da franquia

Situação hipotética: você decide que quer jogar Hakuouki. Legal. Aí você vai lá procurar o jogo e chega numa franquia gigante com vários títulos e não sabe nem por onde começar. O anime também tem várias temporadas diferentes e dois filmes, meu Deus o que é isso??? Em resumo, você se perde. Tá, nem é tão difícil descobrir por qual título começar, mas depois você ainda fica querendo saber pra que servem esses outros zilhões de jogos/temporadas/etc que foram lançados pra ordenhar o dinheiro dos fãs (a gente é trouxa mas gosta). Então estou aqui pra esclarecer um pouco as coisas ou te confundir mais ainda.

O grande problema de Hakuouki é: toda vez que eles lançam um jogo (pode até ser um jogo antigo mas pra outra plataforma), ele ganha um subtítulo diferente. Aí você não sabe se é novo, se é um jogo que já existe só que com extras ou o que for. Como resultado, o mesmo jogo pode ter vários subtítulos e ser ainda a mesma coisa.

Tentei fazer aqui uma lista de “““todos””” os títulos da série por categoria, além de falar um pouco de cada um. Tenham em mente que vários deles nunca foram lançados fora do Japão (e, quando foram, provavelmente estão em inglês), e que eu ainda não joguei/assisti todos (ainda tô muito emperrada em Zuisouroku com o meu parco japonês). Em inglês, o TV Tropes tem uma lista mais ou menos completa dos jogos e do anime. Também não pude fazer uma lista dos drama CDs porque até pouco tempo atrás eu não ligava muito pra eles. Achei aqui uma lista em inglês que parece bem completa.

NOTA: quando eu estava fazendo essa parte do post todos os sites da Aksys (a empresa responsável pela versão em inglês) estavam fora do ar. Deixei os links de qualquer forma na esperança de que eles voltem. Os sites em japonês e os de Shinkai (mesmo em inglês) estão funcionando.

NOTA 2: já foi difícil achar imagens decentes pra alguns dos jogos, imagina se eu tivesse procurado de todos os títulos. Parte do guia não tem imagens mesmo, não é sua internet que tá ruim.

 

Jogos:

O jogo original

O começo de tudo, simples assim. Ou pelo menos era simples até eles decidirem lançar o mesmo jogo pra várias plataformas com nomes diferentes. Ficou pior ainda quando decidiram fazer um remake. Já ficou confuso? Vamos dividir as coisas bonitinho então:

 

Hakuouki ~Shinsengumi Kitan~

haku

Esse é o jogo original para PS2, lançado no Japão em 2008. Conta com seis rotas (cinco e meia se você considerar que a do Kazama é só um final de consolação). O mesmo jogo foi lançado para várias plataformas diferentes; se você quer conhecer o “Hakuouki original”, eu recomendo começar por algum desses aqui:

  • Hakuoki ~Demon of the Fleeting Blossom~: a primeira versão do jogo em inglês, para PSP, lançada em 2012. No Japão, esta versão é conhecida como Hakuouki Portable. Foi por aqui que eu comecei a série, então eu diria que ainda é o meu lugar favorito pra começar.
  • Hakuouki Kyoukaroku: a versão para PlayStation Vita. No ocidente, essa versão saiu com o mesmo nome da versão para PSP.
  • Hakuouki DS: a versão para Nintendo DS. Só existe em japonês.
  • Hakuoki: Memories of the Shinsengumi: a versão para Nintendo 3DS, em inglês. Em japonês, se chama Hakuouki 3D.
  • Hakuoki: Stories of the Shinsengumi: versão para PlayStation 3. Em japonês, se chama Hakuouki Junsouroku. Na verdade, essa versão pra PS3 tem uma diferença: além da história original, ela contém também o fandisk Hakuouki Zuisouroku (descrito com mais detalhes um pouco mais embaixo). Se você quer jogar o fandisk em inglês, essa é a única versão disponível.
  • Hakuoki: assim, sem subtítulo nenhum, é a versão para Android/iOS. Gratuito para baixar, mas as rotas são pagas.

 

Hakuouki Shinkai

pljm16001_banner

Essa versão é o remake da história original. Adicionaram personagens e alguns eventos e dividiram a história em dois jogos, supostamente porque a coisa inteira ficou muito grande pra um jogo só e não porque eles querem arrancar mais do nosso dinheiro. A divisão segue mais ou menos a ideia de um “arco de Kyoto” e um “arco de Edo”. Contando com os personagens originais, os que já existiam mas agora têm rota (Nagakura, Yamazaki e Sannan) e os novos com rota (Iba, Souma e Sakamoto), o jogo tem um total de doze rotas. Como essa é a mesma história só que com muito mais conteúdo, também é uma boa ideia começar por aqui. Foi lançado para Vita e PC (Steam: Kyoto Winds/Edo Blossoms); em japonês, também há versões para PS4 e Switch. O twin pack com os dois jogos juntos foi nomeado Fuukaden, mas só existe no Japão.

  • Hakuoki: Kyoto Winds: a primeira parte do remake. Começa em uma rota comum para todos os personagens, depois se divide de acordo com as escolhas do jogador. A história acaba mais ou menos na Batalha de Toba-Fushimi (capítulo 4 do jogo original). Seu subtítulo original é Kaze no Shou.
  • Hakuoki: Edo Blossoms: segunda parte do remake. Não tem uma rota comum: já no começo, o jogador escolhe em qual rota entrar. A história parte do ponto em que parou no jogo anterior. Título original: Hana no Shou.

 

Os spin-offs

Nessa categoria vão ficar os jogos que seguem outras histórias no mesmo universo ou derivadas da história principal.

 

Hakuouki Reimeiroku

omohasezora_1920_1080

Prequel que conta a história do Shinsengumi antes da chegada da Chizuru; em específico, a época de Kamo Serizawa (o tiozão com cara de mau da imagem acima). Não é um otome game, e sim uma visual novel normal. O protagonista é Ryuunosuke Ibuki (voz: Tomokazu Seki), que é possivelmente um inútil mais inútil que a Chizuru, mas eu não consigo deixar de gostar dele e sempre fico feliz quando lembram dele em algum dos outros jogos (na minha cabeça ele e a Chizuru dariam ótimos amigos, o que é mais ou menos verdade em SSL). Lançado para PS2, PSP (Portable; com extras originais), DS, PS3 (subtítulo Nagorikusa) e Vita (Omohasezora), todos apenas no Japão.

 

Urakata Hakuouki

uljm06373_banner

Otome game que foca nos personagens que se opunham ao Shinsengumi, ou seja, os responsáveis pela Restauração Meiji. A protagonista é Kozue Kirishima (voz: Saori Hayami). Os seiyuus dos personagens principais são: Takahiro Sakurai, KENN, Ken’ichi Suzumura e Tomokazu Sugita (um dos secundários/sem rota é o Daisuke Namikawa, aos interessados). Além da história em estilo visual novel, tem também missões e batalhas, então tem um leve pé no RPG. Lançado para PSP e apenas no Japão.

(Sim, a imagem que eu botei é do fandisk, é que não achei nenhuma melhor)

 

Toki no Kizuna Sekigahara Kitan

t1qi9

Lançado para PSP. Prequel que se passa em 1599, na época da Batalha de Sekigahara (fãs do período Sengoku, aqui está seu presente); foca em conflitos entre clãs de onis (não vou entrar em detalhes já que isso incluiria spoilers pra história principal). A protagonista é Yukina Suzumori; os seiyuus dos personagens principais são: Kentarou Itou, Kenji Nomura, Hiroshi Kamiya, Nobuhiko Okamoto e Satoshi Hino (Miyu Irino e Shinnosuke Tachibana fazem alguns secundários, informação que achei útil para atrair pessoas). Esse jogo na verdade foi traduzido para o inglês pela Shall We Date (portanto para Android/iOS) como Demon’s Bond – The Path of Exile –. O jogo é gratuito para baixar, mas as rotas são pagas. Além disso, ao contrário da versão japonesa, essa versão não tem vozes e eles ainda querem que a gente pague por isso.

 

Hakuouki SSL: Sweet School Life

ssl

Lançado para Vita e no Japão apenas. Realidade alternativa em que Chizuru é a primeira estudante feminina a entrar para a Academia Hakuou, que até então só aceitava homens. Basicamente os personagens da história original transportados para um ambiente escolar nos dias de hoje, em que ninguém tem que morrer (grazadeus): Okita, Heisuke e Saitou são estudantes, Hijikata, Harada e Nagakura são professores etc. Tenho que dar destaque para o meu trio de tiozões favorito: Kondou como diretor da escola, Shimada como tio da limpeza zelador e Inoue como tio da cantina (desculpa, é que eu rio muito com isso).

os tiozão

O INOUE DE TIO DA CANTINA FOI SIMPLESMENTE GENIAL E ALGUÉM MERECE UMA MEDALHA POR ESSA IDEIA

Fora isso também tem mini-games e até uma lojinha interna, então suponho que você ganhe pontos de algum jeito.

 

Os fandisks

Fandisk é o nome dado para o jogo com conteúdo extra (histórias paralelas no meio da trama principal, imagens extras de momentos fofos e/ou engraçados etc) criado pra tirar mais dinheiro dos fãs dar um gostinho a mais mesmo depois de já ter acabado a história principal.

 

Hakuouki Zuisouroku

Fandisk do jogo original (Shinsengumi Kitan). Contém os episódios do gato e de Shimabara que aparecem nos OVAs do anime, além de uma prévia/versão original de SSL, entre outros. Existe no Japão para PS2, PS3 (apenas na versão Junsouroku), PSP, DS e Vita (subtítulo Omokagebana). Em inglês, existe apenas para PS3 na versão Stories of the Shinsengumi, acompanhando o jogo original.

 

Urakata Hakuouki ~Akatsuki no Shirabe~

Fandisk de Urakata Hakuouki. Disponível apenas para PSP, em japonês. É impressão minha ou tem muito mais personagens que o Urakata original?

 

Toki no Kizuna Hanayuitsuzuri

Fandisk de Toki no Kizuna. Apenas PSP, em japonês.

 

Outros jogos derivados

Resolvi colocar esses jogos em uma categoria separada dos spin-offs porque são bem diferentes: não são visual novels ou não seguem o padrão de história dos outros.

 

Hakuoki: Warriors of the Shinsengumi

musouroku

Jogo de ação estilo hack’n slash. Perfeito pra você que está estressado e quer bater numa onda infinita de minions controlando os seus bishounens do Shinsengumi favoritos. Só um detalhe que a combinação de dublagem com jogo de luta não ficou lá aquelas coisas: toda vez que os personagens usam o mesmo ataque (uma vez a cada três ou quatro segundos, dependendo do número de inimigos e da sua velocidade com os botões) eles repetem as mesmas falas, e isso irrita… bom, muito (o Saitou é o mais silencioso na minha opinião, o Sano é o mais forte e o Heisuke não cala a boca nunca; fica a dica). Em japonês, é conhecido como Hakuouki Bakumatsu Musouroku. Para PSP apenas.

 

Hakuouki Yuugiroku

all_1920_1080

História extra com vários mini games e com os personagens todos em formato chibi. Eu achava bem idiota, mas agora até que fiquei com vontade de jogar se é que vou entender as instruções tudo em japonês. Acredito que tenha imagens extras também. Lançado para PSP, DS e Vita. A versão para Vita, com o subtítulo Taishitachi no Daienkai, junta os dois jogos Yuugiroku e tem conteúdo extra com os personagens novos do remake Shinkai.

 

Hakuouki Yuugiroku Ni Matsuribayashi to Taishitachi

8tnu0100002yg1ex

Continuação de Yuugiroku. Existe para PSP (sozinho) e Vita (na versão Taishitachi no Daienkai).

 

Hakuouki Shidouengi

csyalkvuaaaepw1

Jogo online da DMM, se não me engano em estilo Touken Ranbu. Foi encerrado em 31 de outubro de 2017, antes mesmo de eu conseguir jogar E EU TÔ MUITO PUTA COM ISSO ATÉ HOJE.

 

Hakuouki Kaikoroku
topimg01

Olhando a Chizuru segurar essa espada até parece que ela sabe usar essa desgraça

Aplicativo para Android/iOS com histórias curtas. Parou de ser vendido em 20 de abril de 2016 E EU TÔ PUTA COM ISSO TAMBÉM.

 

 

Anime:

A série principal

Eu tenho que admitir que eu sou… um pouco contra começar Hakuouki pelo anime, pelo simples fato de que é uma adaptação e todas as adaptações mudam coisas que talvez não devessem ser mudadas. Apesar disso, existem pessoas que começaram pelo anime e gostam da série do mesmo jeito, então no final faz pouca diferença. Comece pela mídia que achar melhor e vambora no trem do sofrimento.

Pra quem tá em dúvida de onde assistir: o Hacchi Fansub fez várias temporadas do anime, inclusive os filmes.

Lembrando que todas as temporadas do anime foram feitas antes de Shinkai, então Iba, Souma e Sakamoto não aparecem em nenhuma delas.

 

Hakuouki

2010 | 12 episódios | Studio Deen | às vezes carrega o subtítulo Shinsengumi Kitan

Primeira temporada do anime. Animação nada maravilhosa, cenas de vários personagens pra maximizar o efeito do fanservice, mas no fim a rota seguida é a do Hijikata. Vai até mais ou menos o capítulo 4 do jogo original, ou seja, mais ou menos o “arco de Kyoto” que Kyoto Winds cobre. Se você vai começar pelo anime, recomendo que comece por essa temporada.

 

Hakuouki Hekketsuroku

2010 | 10 episódios | Studio Deen

Segunda temporada do anime. Cobre o “arco de Edo” da rota do Hijikata, com cenas extras dos outros personagens pra eles não sumirem no meio da história.

 

Hakuouki Reimeiroku

2012 | 12 episódios | Studio Deen

Normalmente conhecido como a “terceira temporada” do anime, mas não é uma continuação, e sim uma prequel. Adapta o jogo de mesmo nome. Dentre as rotas (sim, o jogo tem rotas apesar de não ser um otome game), adapta muito provavelmente a do Hijikata (não tenho 100% de certeza). É a única temporada do anime disponível no Crunchyroll.

 

Os OVAs
Hakuouki Sekkaroku

2011 – 2012 | 6 episódios | Studio Deen

Episódios especiais que adaptam a missão em Shimabara, que originalmente acontece em Zuisouroku. Cada episódio conta o evento do ponto de vista de um personagem diferente.

 

Hakuouki OVA

2011 | 2 episódios | Studio Deen | 8 minutos por episódio

No geral um pouco desconhecido, já que não tem título próprio e procurar “Hakuouki OVA” no google vai provavelmente te direcionar pra Sekkaroku. O primeiro episódio conta a história do gato (também de Zuisouroku), se não me engano, pela rota do Hijikata. Está no youtube aqui mas sem legenda; fora disso é meio complicado de encontrar. O segundo episódio é uma versão bem simples de SSL, sem nem dublagem. Está no youtube dividido em duas partes: aqui e aqui, com legenda em inglês.

 

Hakuouki Otogisoushi

2016 | 12 episódios | DLE | 3 minutos por episódio

Não é bem um OVA, mas é uma série extra. Curtinhas cômicos com os personagens em formato chibi.

 

Os filmes

gekijouban

2013/2014 | Dois filmes | Uma hora e meia cada | Studio Deen

Também conhecidos como Gekijouban Hakuouki. Os dois filmes de Hakuouki adaptam a história principal, assim como a série, só que com outro ritmo. Eu queria até esquecer que a série existe e ficar só nos filmes porque são muito melhores, mas infelizmente são muito resumidos. Não é uma boa ideia começar por eles, ou você vai acabar bem perdido.

 

Gekijouban Hakuouki Dai Isshou Kyoto Ranbu

Primeiro dos dois filmes. Mais objetivo, com uma animação melhor e menos gritaria por parte da Chizuru. Adapta mais ou menos a história da primeira temporada. Minha única reclamação é a ausência de alguns personagens secundários, especialmente a Sen.

 

Gekijouban Hakuouki Dai Nishou Shikon Soukyuu

Segundo dos dois filmes. Adapta mais ou menos a história da segunda temporada; segue também a rota do Hijikata, mas é bem menos meloso e tem muito menos fanservice. O Kazama também recebe um certo destaque. O final tem um pequeno detalhe diferente do jogo original; por mais incrível que pareça, achei que esse detalhe melhorou muito a história e fez a rota do Hijikata ser muito mais significativa em relação às outras. Ficou curioso? Pois eu não vou contar o que é.

 

 

Mangás:

Honestamente falando: entendo vários nada dos mangás de Hakuouki. A maioria deles nem existe direito na internet e só aparece listada em uns cantos obscuros. De qualquer forma, vou listar todos que eu encontrei:

 

Hakuouki [Naki Hiraku]

15 capítulos | 4 volumes | Arte: Naki Hiraku | 2010 – 2011

Adaptação simples e cronológica da história principal.

 

Hakuouki [Sachi Ninomiya]

23 capítulos | 4 volumes | Arte: Sachi Ninomiya | 2009 – 2013

Adaptação também simples mas um pouco fora de ordem cronológica de propósito (segundo o MAL).

 

Hakuouki Junrenka

2 volumes | Arte: RURU, Kaori Akatsuki, Hana Shinohara, Mochi Kiri | 2009 – 2010

Histórias curtas focadas em cada um dos personagens. Cada história é desenhada por um artista diferente.

 

Hakuouki Reimeiroku

3 volumes (em publicação) | Arte: Kaori Akatsuki | 2012~

Adaptação do jogo de mesmo nome.

 

Hakuouki Sekkaroku

1 volume | Arte: Hana Shinohara | 2011

Adaptação do OVA de mesmo nome.

 

Hakuouki Shinkai

1 volume | Arte: Yuki Nikawa | 2017

Não faço ideia. Vou ficar devendo essa.

 

Hakuouki SSL

18 capítulos | 2 volumes | História e arte: Mikasa | 2013 – 2014

Mangá-paródia de SSL.

 

Hakuouki Shinsengumi Kitan

4 volumes | História: Sarah Yajima | Arte: Ryou Fujiwara | 2011

Adaptação em novel da série.

 

 

Outras mídias:

Coloquei o título para outras mídias em geral mas o que realmente interessa é o dorama:

Hakuouki SSL: Sweet School Life

COFFFCOFFFCOFFF ESSAS PESSOAS DE PERUCA SOCORRO

2015 | 6 episódios | 25 minutos por episódio

Dorama que adapta SSL. Se você pensou “atores de perucas estranhas e atuação bem vergonha alheia” então acertooou. Apesar disso, eu me diverti muito com esse dorama. Ele é bem focado na comédia mesmo, com pouco romance de verdade. Alguns atores tavam até que bem parecidos (meu senhor o Sano tava perfeito que que foi aquilo), outros simplesmente vieram com uma personalidade estranha do nada (KAZAMA DO CÉU QUE QUE FOI AQUILO SÓ QUE NO OUTRO SENTIDO). Tem também o grande extra do Itou como professor de artes. De qualquer forma, o dorama é bem curtinho então não vai tomar muito do seu tempo. Aparentemente existe também uma versão em filme mas nunca vi ela por aí.

Mas isso aí tá traduzido?Sim! Lembro de pessoas falando que esse dorama “nunca viria pro ocidente porque não tem público”, mas a realidade é realmente mais estranha que a ficção. Apresento-lhes todos os episódios legendados no Viki (sim, inclusive em português).

 


Minha palavra final depois de ter feito essa coisa gigantesca: faz favor e entra você também no trem do Hakuouki. Agora dá licença que eu ainda não acabei Kyoto Winds e preciso rever os filmes pela milésima vez.

QUASE NÃO EXISTE GIF DE HAKUOUKI NESSA INTERNET EU TÔ FRANCAMENTE DECEPCIONADA

 

~Xícara entra de volta no armário da cozinha e desaparece~

 

4 Respostas para “Hakuouki Megapost – O que é essa monstruosidade e por onde começa?

  1. Lembro que a Nova Sampa chegou a anunciar um dos mangás, mas cancelou antes disso acontecer. Pouco depois, sumiu do mercado.
    Como não tenho jeito pra jogo, vou caçar o anime e scans do mangá.

    Curtido por 1 pessoa

    • O engraçado dessa questão da Nova Sampa é que eu só fiquei sabendo que eles iam publicar o mangá quando anunciaram que não iam mais. Honestamente, a ideia de que algum dia pudessem publicar Hakuouki no Brasil nunca tinha me passado pela cabeça; achei que todas as editoras ficassem um pouco na lógica de que coisa de otome game não tem público. Teria sido uma experiência interessante, no mínimo.
      Acho que o anime é bem mais fácil de encontrar que o mangá, que só tinha alguns capítulos traduzidos. Mas eu nunca procurei a fundo, então posso estar enganada.

      Curtido por 1 pessoa

      • A Nova Sampa era da linha “jogo a informação e o povo que se vire pra saber dela”, tipo a Panini. De qualquer forma, acho que pegaram com compra casada “tu pode lançar esse, mas só se levar esse junto”.

        Curtido por 1 pessoa

  2. Pingback: Collar x Malice – Qual é a verdadeira face da justiça? | Shiritori·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s